84. OpenAI test

Artificial Intelligence. Wowowww. Muito potencial está aí a aparecer todos os dias. Contudo, não é menos verdade que esse potencial tem ficado em muitos casos nisso mesmo. Os resultados de muitas das aplicações de AI aos negócios, à saúde e à indústria não têm sido os melhores. Deixo aqui algumas causas para os resultados menosContinue a ler “84. OpenAI test”

82. Obrigado Sporting e APDSI

Há dias e dias. Esta semana voltei mais uma vez ao passado. O Núcleo do Sporting de Castelo Branco resolveu convidar-me para uma conversa sobre as memórias do tempo em que joguei andebol do Sporting Clube de Portugal. Deixo aqui as 2 partes da entrevista. 1ª parte 2ª parte Mas a entrevista Sportinguista, foi sóContinue a ler “82. Obrigado Sporting e APDSI”

76. Estou a escrever!

Todos, sem excepção, vivemos na mesma vida, no mesmo espaço universal pelo menos. Todos, com algumas excepções, vivemos, quase exactamente, os mesmos desafios humanos, à medida que vamos crescendo, aprendendo a movimentar-nos, a respirar, a comer, a descansar e a relacionar-nos. Todos, sem muitas excepções, copiamos mentalmente primeiro e depois bio mecânicamente o que vemosContinue a ler “76. Estou a escrever!”

68. Máquin.us

Os pressupostos: Somos pessoas, únicas e complexas; Somos pessoas, que sentimos, que comunicamos e que fazemos; A velocidade de processamento do homem é 60 bits/segundo; A velocidade de processamento da máquina é 0,0000000001 segundos/resposta; Existem iniciativas globais a estudar profundamente o comportamento do cérebro; Existem iniciativas globais a estudar profundamente o comportamento das máquinas queContinue a ler “68. Máquin.us”

66- Vida Artificial – “Hello World”

Há ainda poucos portugueses a falar acerca de vida artificial. Duas referências que gostaria de vos apresentar são o Pedro Domingos, autor do Algoritmo Mestre, sendo referenciado internacionalmente por Bill Gates e tecnólogos reconhecidos, e o Vitor Santos, professor na IMS da Nova, PhD em ciências da computação. É o Vitor que me faz escreverContinue a ler “66- Vida Artificial – “Hello World””

63. Perguntei ao tempo, como ser e estar

Respondeu que não fazia sentido a pergunta e que nós humanos passaríamos por ele à mesma velocidade, sem vaidades nem ultrapassagens. Eu o tempo, não sou mais do que uma convenção na terra que se tem vindo a utilizar para justificar o compromisso de uns e o desleixo de outros.  O tempo em que coincidimosContinue a ler “63. Perguntei ao tempo, como ser e estar”