103. A Caravela de Cristiano

Parabéns Cristiano,

pela coragem, numa entrevista “straight from the gut”.

E o mundo parou para te ouvir. Estive a ver a entrevista com os meus dois filhos, mas já antes tinha ido espreitar à net uns excertos.

“As caravelas

Desde o início da temporada desportiva estavam ancoradas na Marina do Funchal duas caravelas. A de CR7 e a do Man United…

Tal como em qualquer relação, quando as coisas começam mal, tarde ou nunca se endireitam, já dizia o ditado.

Brilhante

A equipa que te aconselhou a dar a entrevista está de parabéns também. A situação com o Man. United devia ser insuportável para ti pessoalmente. A entrevista marca mais um arranque dos teus para uma corrida que ainda agora começou mas na qual já estás isolado na frente. Nesta altura os dirigentes do Man. United devem estar a pensar num processo disciplinar interno… Se acontecer, irão ser massacrados, uma vez que irão conotar essa ação com a entrevista, e não com aquilo que se tem passado desde início da época dentro e fora das quatro linhas. Aqui está o que se avizinha. Pensava que fosse mais tarde… mas não dizem nada para já.

Com esta entrevista CR7, arrancaste, mais uma vez, com a tua caravela, equipada com o novo motor eléctrico da RollsRoyce que será lançado no Spectre em 2023, Spirit Electrified…

A caravela do Man. United talvez ainda esteja ancorada na Marina do Funchal até ao final do Mundial. Do lado do Man. United foi sobretudo difícil para alguns companheiros da equipa e para o nosso Bruno Fernandes. A partir do primeiro jogo já passou e voltará a equipa a funcionar como um todo.

A maior parte dos dirigentes não entende nem a individualidade dos competidores nem aquilo que as equipas precisam para se sentirem competentes dentro de campo. É crítico construirem-se ambientes que promovam internamente a dinâmica do grupo para se poder injectar a gasolina correcta na quantidade certa, e que muito ajuda na conquista dos títulos e dos troféus.

Para a Sociedade

O mundo do futebol mostra o que de pior o mundo do desporto tem oferecido nos últimos anos, exceptuando a performance dos nossos atletas e equipas. O Qatar tem manipulado e comprado todas as competições de todas as modalidades desportivas do mundo, um fenómeno silencioso que não tem tido repercussões práticas nas estruturas do futebol mundial.

O mundo das apostas, da corrupção e da violencia, tem utilizado alguns clubes para implementar modelos de negócio que pouco têm a ver com os princípios do olímpismo e do desporto.

Enquando atleta de andebol percebi que só era possível termos bolas para o desporto porque tínhamos países como o paquistão que as coziam à mão.

A hipocrisia das marcas desportivas, mas também de alguns bons programas sociais de apoio aos trabalhadores destas empresas contrastam com a realidade dos países árabes que escravizam os trabalhadores para poderem realizar e ostentar os campeonatos do mundo.

Sou da opinião que o nosso presidente da republica não deveria estar presente no jogo inaugural.

Para o mundial ser possível…

Também temos portugueses de excepção no movimento global para a integridade das competições, mas temos de fazer mais e melhor para não nos deixarmos financiar pelas instituições e países errados.

Para nós desportistas, não interessa ganhar a todo o custo, só interessa ganhar se conhecermos todas as regras e se elas forem visíveis a todos.

Para os clubes

É preciso bastante mais do que contratar as melhores individualidades…

Ao “motor da motivação” dos desportistas portugueses dos últimos 20 anos:

Cristiano, deixo-te aqui cinco pontos que podem não fazer sentido na tua carreira para já, mas que farão muito sentido num dia futuro, em que já não estejas no activo enquanto Atleta olímpico, e timoneiro de um outro nível de futebol que tens liderado e construído à escala mundial.

– Não deves deixar que a pressão social te manipule para uma decisão individual, talvez a mais individualista da tua carreira desportiva e da tua vida pessoal.

– Não te esqueças que é o teu carácter mais pessoal e profundo que te levou ao sucesso e não é só o futebol que te tem moldado enquanto ser humano.

No curto prazo:

– Continua a treinar e a jogar como se tivesses 12 anos

– Não voltes a anunciar a tua saída do alto rendimento. O teu corpo, coração e cabeça vão dizer-te na altura certa. Tens de respeitar esta ordem para não tomares a decisão e teres outro desportista a dizer-te para voltares 🙂

– Investiga David Sinclair. Falaste em longevidade, e podes encontrar no David a pessoa que te leva a ter rendimento aos 45 ou 50 🙂

No longo prazo (10 anos)

– Vamos almoçar 6 meses depois de deixares o alto rendimento. É aí que te vou conseguir ajudar. Eu pago!

– Nenhum desportista de elite é consciente do que é a vida pessoal sem o alto rendimento, estando ainda no activo, porque até começar a viver essa nova vida, não existe qualquer experiência e as expectativas estão normalmente muito acima do que vai acontecer de facto. E para ti, esse período, vai ser mais duro do que para qualquer outro. Para mim, ainda não passou… sensação estranha esta…

– Lancei a Sportrack.io há 1 ano para poder continuar a ajudar desportistas de várias modalidades e convidá-los a permanecer no alto rendimento independentemente das suas outras vidas… Serás sempre o nosso melhor embaixador. Fica aqui o convite.

Mundial

Boa sorte para a equipa de Portugal. Se estiveres a 50% daquilo que és enquanto Atleta, vais com certeza ajudar a um resultado muito positivo para Portugal neste mundial. A armada está preparada e aquilo que já lideraste no passado devem ser os requisitos suficientes para tranquilizares o teu jogo. Vamos juntos. Deixemos o teu coração liderar os pés, porque na cabeça, a performance, o know-how e a motivação já lá estão à espera do apito do árbitro.

Por Portugal!

Forte abraço

Publicado por Ricardo A.

Business Performance and Sports Analytics

%d bloggers like this: