72. Pombinho – Performance

Só há uns dias tive a oportunidade de conhecer o João Pombinho. Para além de nos termos conhecido por telefone, (a chamada durou mais de uma hora), comecei a descobrir com ele um novo mundo desportivo que desconhecia por completo. O Super Endurance. Fiquei a conhecer a existência da Race Accross America em ciclismo, do Norseman, e de outras das mais existentes provas à condição e performance humanas. Se exige do humano, estou lá! :).

Photo by Pixabay on Pexels.com

Os super Atletas que conseguem entrar nestes níveis de resistência fisiológica e mental têm a experiência de que há momentos quase inconscientes, em que só a preparação, o treino e a experiência nesses momentos podem ajudar, a não desistir, a aguentar aqueles momentos mais penosos, e a querer continuar no desafio individual de medir e incrementar os níveis de entrega, de preparação, de ambição, mas também de prazer em vidas dedicadas ao desporto e ao alto rendimento do organismo.

As minhas referências pessoais no desporto mais radical e exigente, antes de conhecer o João Pombinho, são e foram: Antxon Arza, águas bravas, João Garcia, Iñaki Ochoa de Olza, Edurne Pasaban (todos dos 14, 8 mil metros em expedição à alta montanha), Susana Feitor, Rosa Mota (Atletismo), Demétrio Lozano, ninguém sabia mas fazia parapente, Jorgensen, Andebol mas fisicamente um extraterrestre, João Rodrigues (português com mais JO no windsurf) e Pedro Rodrigues (Kite Surf – a preparar JO de Paris na nova versão Racing…) Pedro Bianchi Prata, Paulo Gonçalves, Hélder Rodrigues, Elisabete Jacinto (todos do Enduro), Simone Fragoso (Natação paralímpica), Jorge Fonseca e Bárbara Timo (Judo), Rui Bragança (Taekwondo) e alguns outros que tenho a sorte e o privilégio de aprender. Poderia estar a fazer um esforço para incluir muito mais nomes aqui, mas para além de não conhecer muitos desportistas que gostaria, a diferença entre o desporto radical e o outro é considerável, apesar do controlo dos participantes em todos.

Photo by u0410u043du043du0430 u0420u044bu0436u043au043eu0432u0430 on Pexels.com

Para os mais distraídos em relação ao fenómeno desportivo extra-futebol, existem actualmente centenas de ligas, competições, e organizações desportivas a movimentarem centenas de milhares de euros, que no desporto individual a grande maioria não são federadas ou não têm os apoios federativos na sua realização. Há grandes riscos destas provas não serem geridas pelas respectivas federações, algumas delas decorrentes de obrigações legais, como os seguros, a segurança e as regras das próprias competições. Mas o turismo desportivo e as competições de veteranos estão aí em todos os desportos. Só um evento que tive oportunidade de organizar gerou em 4 dias, um milhão de euros (juntanto o valor das inscrições, hotelaria e transportes, ao consumo de Atletas, Equipas e Adeptos dos países de origem). Estes valores transacionados através destas competições estão a contribuir para o PIB gerado pelo Turismo, e não para o Desporto como actividade ancôra responsável por estas contribuições em serviços e consumos directos.

Voltando aos Ultra-man and woman, conseguimos sempre ter portugueses entre os melhores do mundo a nível individual. Contudo a nível social e opinião pública, poucos portugueses conhecem estes Atletas, muito menos percebem como é possível conciliarem as suas vidas desportivas e profissionais com sucesso, não falhando no empenho com que respondem aos seus desafios independentemente da sua origem ou natureza.

É por entender que a carreira do alto rendimento humano, traz muito mais à sociedade do que a sociedade consegue integrar, que lancei a Sportrack, que permite a empresas privadas, Sponsors desportivos, Marcas, Clubes e instituições, promoverem Atletas e carreiras directamente, podendo escolher com que Atletas querem relacionar as suas marcas e contribuindo para a carreira desportiva e não desportiva do Atleta. As marcas desportivas terão sempre maior retorno no curto prazo, ao registarem uma página na plataforma, independentemente do Marketing e da visibilidade que estamos a desenvolver para todos – Sponsors e Atletas.

As vossas contribuições são sempre bem-vindas,

Felis 2022!

Publicado por Ricardo A.

Business Performance and Sports Analytics

%d bloggers like this: