62. Como ser bem aceite numa nova equipa?

Performance de Equipas

Esta pergunta dava para escrever um livro, e a experiência é curta em termos das equipas desportivas (3 equipas mas muitas mudanças internas) e muito rica em termos das equipas corporativas (muitas equipas diferentes com contextos e realidades operacionais muito diferentes). A melhor lição que levo do desporto tem somente a ver com o respeito que devemos ter por cada uma das pessoas que iremos conhecer e com quem iremos colaborar no futuro.

O desporto, sendo uma actividade aberta ao público, em que os Atletas perdem automaticamente a sua privacidade, permite ao mesmo tempo dar conforto psicológico à hora de nos relacionarmos com outros colegas, ou com qualquer outra pessoa, mais ou menos próxima das amizades ou dos grupos em que estamos mais à vontade.

Profissionalmente é muito importante conhecermos as pessoas ou algumas pessoas que se relacionam com essa equipa para onde vamos. Quando digo conhecer, é mais no sentido de se perceber com quem vamos falar de forma genérica, mas ao mesmo tempo informada. Saber quem é são as pessoas e saber que o primeiro contacto/reunião é demasiado importante.

Quando estava em Espanha, à procura de trabalho na área financeira, fui influenciado por uma amiga do Centro Europeu de Inovação de Navarra, a ligar para a Caja Navarra (agora LaCaixa)… Para ligar ao presidente… Ideia que rejeitei durante 2 semanas… Ao fim de 2 semanas liguei para o Banco e pedi para falar com o presidente Enrique Goñi…

P: Quem quer falar com o presidente?

R: O meu nome é este, sou português e gostava de o conhecer para lhe pedir uns conselhos….

A informação seguinte foi: O presidente está em viagem aos EU a apresentar a banca cívica ao mundo financeiro… mas fique descansado que tomo nota e alguém entrará em contacto consigo. Agradeci e despedimo-nos cordialmente e comecei a pensar daquela maneira bem nossa… Tá bem tá bem… pensei!

No mesmo dia às 12 da manhã liga-me o vice-presidente do banco a convidar-me para uma reunião. A minha alma ficou parva mas aprendi a lição. O vice-presidente depois de ter partilhado com ele que estava à procura de trabalho na área, disse-me. Ricardo, sem qualquer compromisso, entregarei o teu CV ao director de RH e não farei nada mais. Tive mais 2 entrevistas e cheguei a uma short list de 9 candidatos para uma área corporativa de desenvolvimento de negócio. Era um português e 8 bascos com navarros mais bascos que os bascos. A verdade é que a forma como esta cidade e este povo me receberam é algo que nem consigo exteriorizar muito bem, tal a empatia e o carinho com os quais sempre fui tratado desde o primeiro momento.

Posso dizer-vos que tenho família em Pamplona e que as raízes dessa amizade são bem profundas. Para se entender o espírito empreendedor na Europa, temos todos que visitar o País Basco, os melhores empreendedores do sul da Europa.

As minhas melhores dicas para sermos bem aceites numa nova equipa:

1 – Respeite as individualidades todas por igual, independentemente do natural grau de empatia que se tem com algumas pessoas e não com outras;

2- Aberto à influência e bem estar colectivo partilhando informação crítica de relevo, independentemente ser mais pessoal, formal ou informal;

3- Ser competente, ou continuar a ser competente. Muitas vezes temos crises de confiança quando mudamos, mas esta é só uma percepção própria. O foco no trabalho ajuda a dissipar estas naturais inseguranças de entrarmos num ambiente em que nada controlamos;

4- Não deixar que alguém passe dos limites à boa convivência de equipa. Para chegarmos aqui, a equipa já deveria ter membros com competências específicas de boas-vindas, mais sociais e profissionais a fim de haver alguma protecção para os ambientes mais agressivos que vamos sempre encontrando na gestão de pessoas e equipas.

Sendo que todos os ambientes de equipa são muito agressivos no seu limite, também posso afirmar que quando encontram “a equipa”, tudo muda em relação às experiências anteriores menos positivas. No contexto actual e com as equipas a mudaram à velocidade da luz, a qualidade dos ambientes de equipa tem diminuído, na minha opinião. Este é um trabalho de todos.

Os vossos comentários e experiências de equipa são sempre bem-vindos!

Publicado por Ricardo A.

Business Performance and Sports Analytics

%d bloggers like this: